Dicas para curtir o dia das bruxas

Para comemorar o dia das bruxas  você não precisa ir só pra festinha do curso de inglês, pois neste fim de mês a livraria Saraiva Megastore conta com uma programação sobre o Halloween.

No dia 30 de outubro o Clube do Livro retorna com algumas obras relacionadas ao  Halloween como a A batalha do apocalipse, Fallen, Diários do Vampiro 4 – Reunião Sombria e  O aprendiz – Coleção Caça Feitiço.

Já no dia das bruxas os fãs da série Supernatural poderão trocar figurinhas na livraria. Durante o encontro será discutido o rumo da série dos irmãos bonitões e, é claro, o lançamento em DVD  da quinta temporada. A saga dos irmãos Winchester vai ser tema de debates, quiz, brincadeiras e até sorteio de brindes.

Só para lembrar um detalhe muito importante: é tudo na faixa, ou seja, é grátis!

Inscrições para a Programação Acadêmica do Amazonas Film Festival

O Amazonas Film Festival é uma oportunidade para os amantes da sétima arte participarem de oficinas e palestras com profissionais da área. Em sua sétima edição, o festival já está com inscrições abertas para a programação acadêmica.

Confira abaixo a relação das atividades oferecidas:

1.  OFICINA: PROJETO QUERÔ – EXPERIMENTAÇÃO EM AUDIOVISUAL

PERÍODO: 05 A 07.11.10

2. OFICINA: CAPTAÇÃO DE SOM

PERÍODO: 07 A 09.11.10

3. OFICINA: DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

PERÍODO: 08 A 10.11.10

4. OFICINA: NOVAS FORMAS DE DISTRIBUIÇÃO, TECNOLOGIAS DE GESTÃO NO AUDIOVISUAL E PRODUÇÃO DE EVENTOS DE AUDIOVISUAL

PERÍODO: 09 A 11.11.10

5. PALESTRA: A SUBSTÂNCIA DAS SOMBRAS – A ANÁLISE E COMPREENSÃO DOS FILMES CONSAGRADOS PELO AUTOR MÁRCIO SOUZA (09/11/10)

6. CONVIVÊNCIA DE CINEMA: PROJETO QUERÔ (O8/11/10)

Para participar basta acessar o site do festival e preencher o cadastro.

Agende: Simpósio sobre Quadrinhos na Ufam

Fãs de quadrinhos e simpatizantes preparem-se. Acontece de 17 a 19 de novembro o primeiro Simpósio sobre Histórias em Quadrinhos, o HQSim. O objetivo principal do evento é discutir os processos de mudança nas hitórias em quadrinhos dos meios impressos para o digital. Serão mesas-redondas, palestras, debates, oficinas para discutir vários aspectos da produção, distribuição e circulação de HQ para a web.
O simpósio será realizado nos auditórios da Faculdade de Tecnologia na Universidade Federal do Amazonas- UFAM. Quem tiver trabalhos voltados para essa temática também tem a oportunidade de mostrar seu trabalho, é só entrar em contato com a organização do evento no Departamento de Comunicação Social.
As inscrições são gratuitas pelo site do HQ Sim.
Se você é um estudioso do assunto ou se interessou pela temática não deixe de participar. Afinal, nada melhor do que incrementar o currículo de uma maneira divertida.

Começa com você ou: SWU, vai tomar no …

Este título aí de cima não tem significado negativista como, a primeira vista, parece ser. Ele está aí para lembrar a frase que o público mais gostava de entoar a cada coisinha errada que acontecia no festival. Que convenhamos: ir para um local que terá público final de mais de 160 mil pessoas e achar que tudo será perfeito é acreditar em papai noel, ou na volta de Jesus – fato que ocorreu no terceiro dia de evento.
Pontos negativos: vamos logo a parte ruim, que foi pouca coisa e depois seguimos ao que interessa. O local não foi dos melhores: para chegar lá a pé era uma caminhada da via expressa principal até os palcos, de no mínimo 4km, senão mais – a sensação de morte declarada aumentava com a poeira e com as dores de um dia inteiro, em pé, assistindo aos shows; o som falhou, em momentos importantes, como no show do RATM; a segurança, no primeiro dia, foi precária e nos outros foi tão bem feita que atrasou a entrada do público; o preço de tudo estava exageradamente alto.

Os ingressos estavam em conta: R$ 190 por dia de show, é barato; o público estava bem selecionado; as atrações cumpriram o que prometeram, umas mais, outras um pouco menos; e se a organização soubesse que iria fazer aquele frio, teria conquistado a galera com uma loja com casacos e moletons e outra somente com chá, café e chocolate quente – esses últimos dois existiam no quiosque da Nestlé, mas não havia divulgação.

Primeiro dia (09/10/10)

Brothers of Brazil: a dupla filha dos senadores Marta e Eduardo foi a primeira atração a subir nos palcos oficiais do SWU. Divertiram-se e divertiram o público tocando músicas próprias e outros sucessos antigos do Supla. Nota 7,5.

Black Drawing Chalks: a quantidade de pessoas que conheciam a sensacional banda brasileira era menor do que os que realmente já tinham ouvido o seu som e sabiam o que esperar. Era só ouvir quem cantava e quem não cantava a já clássica “My Favourite Way”. Foi o aquecimento perfeito para o frio que começava a despontar. Um dos melhores shows nacionais. Nota 8,5.

Macaco Bong: outra atração nacional que tinha tudo para arrebentar. E cumpriu seu papel com maestria em todas as canções. Não conhecia a banda, não sabia do que se tratava, mas como o meu amigo, baterista, Júnior disse: “Essa daí (a banda) a gente tem que ver de perto, é som!”. E realmente foi. Música instrumental de primeiro mundo, com tudo certo e não deixou a quentura levantada pelo Black esfriar. Nota 8,5.

Infectious Groove: não fiz questão de prestar atenção nem na música, quanto menos no que rolava nesse momento em cima do palco. Um som datado, com uma ou outra música legal e pela primeira vez rolava em minha cabeça o seguinte pensamento: podiam ter deixado isso de fora e trazido algo melhor. Sem nota.

Mutantes: eu respeito os Mutantes. Mas aqueles que tinham a Rita e os Irmãos Batista. Esse, cheio de gente, com cara bonitinha e que mama nas músicas antigas da banda e não tem nada a oferecer de novo, esse eu descarto. A banda se esforçou, mas o frio – tanto o tempo, quanto a reação do público – não os deixou a vontade. Nota 5,0.

Los Hermanos: “Eu nunca vi o Los Hermanos ao vivo”. Disse sem o menor pudor. A maioria do meu grupo de amigos ficou me olhando. E repeti: “Vamos lá pro lado em que eles vão tocar, tenho que ver!”. E lá foi todo mundo. Nesse momento o vento frio já congelava as pessoas, principalmente as que foram de bermuda – como eu. O show não foi dos melhores, mesmo com a banda esgotando todas as melhores músicas cantadas pelo sempre carismático Rodrigo Amarantes. O som também não colaborou e o que seria o grande show da volta, tornou-se somente mais um show – o meu primeiro – do Los Hermanos. Nota 8,0.

The Mars Volta: na metade do show do Los Hermanos, eu e minha trupe já partíamos em direção ao palco em que rolaria um dos shows mais esperados por este escriba – não era o do Rage Against The Machine, não, não – era o do louco e intensamente perfeito The Mars Volta. A banda que faz um som inclassificável teve seu futuro traçado em uma frase profética do amigo Marcos: “Esse povo aqui não sabe quem é o Mars Volta, até hoje”. Som perfeito, presença de palco dominante e pelo menos um fã radical conquistado: eu. Melhor show do dia sem dúvida, um dos melhores do SWU. Nota 9,5!

Rage Against The Machine: 15 anos. E logo na primeira vez em que a banda surge no palco, um sentimento de alegria e total compreensão de que todos perderiam a noção do que é ser racional toma conta da fazenda Maeda. Pulos, gritos, emoção e depois… Socos, desespero, gritos, corre-corre e algumas quedas pelos caminhos. Para piorar a situação, o som desaparece em uma canção chave e a banda continua o show mesmo assim – eles estavam com o retorno. Uma apresentação memorável, mas o RATM sofreu um eclipse psicodélico e intransigente de Marte. Nota 9,0!

Essa semana sai o post do dia pop. Hoje mais conhecido como o dia Joss Stone.

Rodrigo Castro

Texto publicado originalmente no A Sétima e Todas

Workshops de fotografia de graça no MBF

O festival de fotografia Manaus Bem na Foto continua a todo vapor e com ótimas novidades. A diretoria da FAZZ.ART decidiu atender o pedido do Lar Batista Janell Doyle, convertendo os ingressos dos 2 (dois) workshops de fotografia – a serem realizados no Studio 5 (20/10/2010 e 23/10/2010) – em doação de alimentos não perecíveis para a instituição.
Os interessados em participar de qualquer um dos workshops, poderão trocar duas latas de leite em pó Ninho e dois pacotes de fraldas descartáveis pelo seu ingresso. É importante ressaltar que será necessário fazer uma doação (leite + fralda) por workshop. Os alimentos arrecadados serão doados integralmente ao Lar Batista Janell Doyle. A FAZZ.ART contribui assim para incentivar ações de responsabilidade social que beneficiem nossas crianças. Os interessados em participar do MANAUS PHOTO STUDIO 2010 deverão, no dia de cada workshop, levar suas doações e entrega-lás no estande do Lar Batista Janell Doyle, na recepção do evento, no Salão Nobre do Studio 5 Centro de Convenções, onde receberão seus ingressos. Recomendamos que o participante compareça com antecedência no local do evento para receber e garantir seu ingresso, pois as vagas são LIMITADAS. As pessoas que já efetivaram reserva até a 17:00h do dia 13/10/2010,
estão com suas vagas garantidas, mas terão que fazer suas doações no dia do evento.
Não perca!

O Pequeno Príncipe é o tema da Sexta Filosófica

O ciclo de palestras “Os Clássicos da Literatura Universal” da Sexta Filosófica retorna este mês com a obra O pequeno princípe. Durante a palestra, a professora Kelly Aguiar abordará o valor da simplicidade que o livro do francês Antoine de Saint-Exupéry carrega. Adorado mais por adultos do que por crianças, O Pequeno Príncipe é uma fábula onde um menino solitário resolve viajar por outros mundos para depois perceber o quão importante são as coisas simples da vida.
O livro já teve uma adaptação para os desenhos animados que chegou a ser transmitido no começo dos anos 90.

Sexta Filosófica “Clássicos da literatura universal”
Tema:
O pequeno príncipe e o valor da simplicidade
Quando: 22 de outubro, às 19 h
Onde: Espaço Cultural Valer – Av. Ramos Ferreira, 1195 – Centro
Quanto: grátis

2º Sketchcrawl Manaus

O Maodita foi ao SketchCrawl e mostra pra você o que rolou por lá.

%d blogueiros gostam disto: