Lançamento de revista e exposição de arte visual marcam o início do Festival Até o Tucupi

Finalmente, novembro chegou. E trazendo com ele, os tão esperados eventos que prezam a produção artística da nossa querida Barelândia.

Dando as boas-vindas ao nosso desejado mês, o Festival  Até o Tucupi começou na terça (01/11), apresentando mais uma proposta que visa valorizar as produções culturais dos nossos quase esquecidos artistas manauaras, que foi o lançamento da 1ª edição da revista Olha Já. E como sempre, o Maodita não podia ficar de fora dessa e foi no lançamento para conferir os  maiores detalhes da revista e do evento.

Apresentação de artes visuais foi a temática escolhida para dar início ao festival. Caso você tenha perdido o lançamento, ainda dá tempo para conferir a exposição “Compacto Arte” que visa aglutinar as obras de vários artistas que se dispuseram participar, tornando acessível suas obras para o público freqüentador do evento. Salientando, a exposição foi dividida em dois ambientes, onde um ficará sendo exposto na galeria do Sesc, no Centro dos dias 01 a 12 de novembro e o outro no pólo de moda, na Alvorada, dos dias 01 a 05 de novembro.

Além da exposição, a noite foi marcada pelo lançamento da revista Olha Já, que será exclusivamente virtual, onde almeja acoplar os trabalhos dos artistas que produzem artes visuais, apresentado-as, através da Internet, possibilitando que qualquer pessoa do Brasil e do mundo as conheça. Inicialmente, a revista terá a sua periodicidade anual, ou seja, será lançada a cada edição do festival. Segundo Paulo Trindade, um dos responsáveis na elaboração do Festival, o número de pessoas que participaram expondo seus trabalhos aumentou significamente, onde na sua primeira edição teve 68 artistas participando ativamente e esse ano, o número chegou a 115, só de artistas que produzem artes visuais.

Mesa redonda "Reflexão sobre as artes visuais em Manaus”

Para encerrar a noite do primeiro dia do Festival, ainda rolou um  bate papo sobre artes plásticas em Manaus, com as participações do artista plástico Turenko Beça, da artista visual, Roberta Paredes e da jornalista e estilista da marca Santa Cris, Cristiane Batista.

Se você não conseguiu ir ao primeiro dia, calma, porque o festival vai continuar rolando até o dia 05 de novembro. Para informações sobre o festival, sobre os envolvidos ou sobre a programação, corre lá no site do evento: www.festivalateotucupi.com

Texto de Dayana Daide e Vinícius Leal

Agende: Manaus Bem na Foto – Festival de Fotografia

A capital amazonense vai respirar fotografia, mais uma vez. Está chegando mais uma edição do Festival  Manaus Bem na Foto que acontece de 14 a 24 de outubro de 2011.

A programação deste ano inclui palestras, workshops, leituras de portifólios, exposições e outras atividades. Agrande novidade é a realização do I Fórum Amazonas de Fotografia, que acontece dias 15 e 16 de outubro e coloca em debate a produção fotográfica local, políticas públicas para a fotografia no Amazonas e intercâmbios na Amazônia.

As Palestras/Photovivências já confirmadas são de Alexandre Sequeira e Guy Veloso (PA), Marcio Vasconcelos (MA), Rodrigo Braga (RJ), Jimmy Christian, Marcio Silva e Amarildo Oliveira (AM) e Fotoclube Roraima (RR). Os workshops ficam nas mãos dos fotógrafos Raphael Alves, Carlos Navarro e Emanuel Pires (AM).

Entre as exposições estão “Amazônidas” do grupo A Escrita da Luz,  “Brincadeira de Criança”, de Francisco Araújo, “A Velha Manaus Moderna”, de Michell Mello, ‘Ritual Dessana’ de Paulo de Lima, Coletiva Fotonascimento, ‘Corpos em movimentos’ de Evandro Seixas, ‘Uma Certa Amazônia’ de Alberto Cesar Araújo, ‘Wotchimaucü’de Raphael Alves, ‘Waimiri Atroari’ de Ricardo Oliveira, ‘Retratos da Amazônia’ de Ione Moreno e ‘Navio Gaiola – Cores Entrelaçadas, Conservação da Amazônia e Pescadores de Doações’ de Alexandre Fonseca, todos do Amazonas. Já as exposições visitantes trazem os  nomes dos paraenses Alexandre Sequeira e Guy Veloso, respectivamente com as obras Nazaré de Mocajuba e Entre a Fé e a Febre e a coletiva Fragmentos de Roraima, do Fotoclube-RR.

Sobre o projeto

O  “Manaus Bem na Foto” já é realidade desde 2006, levando ações sociais a praças, ruas, escolas e comunidades periféricas e ribeirinhas de

Manaus, sempre na semana do aniversário da cidade. Um dos resultados desse trabalho foi a criação do grupo de fotografia amazonense “A Escrita da Luz”, que revela novos talentos e hoje é um dos grupos mais atuantes da fotografia brasileira, segundo a revista Fotografe Melhor.

Em 2010, o projeto chegou ao amadurecimento com a realização da primeira edição do “Manaus Bem na Foto – Festival de Fotografia”, um marco para a fotografia nortista com o encontro e a criação da Rede Amazônia de Fotografia. – Rede de Produtores Culturais da Fotografia na Amazônia, composta por fotógrafos e produtores culturais de todos os Estados do Norte.

Outras informaçoes e a programação completa estão disponíveis no blog http://manausbemnafoto.blogspot.com/

Programação Acadêmica do 2º Festival Amazonas de Música

Estão abertas as incrições para a programação acadêmica do 2º Festival Amazonas de Música Entre as atividades oferecidas estão os workshops de “Grooves, Técnicas e Linguagens” com Serginho Carvalho (30 vagas), “Música e Tecnologia” com Jonilson Reis (30v.), “Bateria” com Lúcio Vieira (30v.), e as oficinas de “Processo Criativo – Produção de Grupos Musicais” com Stanley Wagner, Hudson Alves e Airton (30v.) e “Direitos Autorais” com Márcia Bittencourt da União Brasileira dos Compositores (100v.).
Os interessados em participar devem procurar a sede do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro, localizada na Av. Pedro Teixeira n°2565, Flores (Sambódromo/ Bloco F), de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h, ou pelo telefone: 3232-2440/3232-2488.
PROGRAMAÇÃO DO 2º FESTIVAL AMAZONAS DE MÚSICA – 2011
21 a 25 de setembro
PROGRAMAÇÃO ACADÊMICA
21Set | Quarta-feira
15h às 17h | Workshop “Serginho Carvalho”
Cine Teatro – Centro Estadual de Convivência do Idoso Aparecida
Grooves, técnicas e linguagens | Serginho Carvalho
22Set | Quinta-feira
9h às 12h | Cine Teatro – Centro Estadual de Convivência do Idoso Aparecida
Oficina Processo Criativo – Produção de grupos musicais | Stanley Wagner, Hudson Alves e Airton Gaúcho
15h às 17h | Workshop de Música e Tecnologia
Jonilson Reis (Lamamba)
23Set | Sexta-feira
9h às 12h | Cine Teatro – Centro Estadual de Convivência do Idoso Aparecida
Oficina Processo Criativo – Produção de grupos musicais | Stanley Wagner, Hudson Alves e Airton Gaúcho
14h às 17h | Workshop de Bateria | Lúcio Vieira
24Set | Sábado
14h às 18h | Auditório do Palacete Provincial
Oficina de Direitos Autorais | Márcia Bittencourt – UBC União Brasileira dos Compositores

Bandas selecionadas para o Festival Até o Tucupi

Foram  50 bandas inscritas e apenas  15 escolhidas para se apresentar no Festival Até o Tucupi que acontece  entre os dias 1 e 5 de novembro. A curadoria foi composta pelos músicos Augusto Nunes, representante do Cuia Coletiva; Elisa Maia, representante do Coletivo Difusão; e Eliberto Barroncas, integrante do Escada Sem Degraus e Raízes Caboclas. O festival Até o Tucupi, que esse ano traz o tema “Engrossando o Caldo” – lembrando que no ano passado o tema era “Artes Integradas”, é uma realização do Coletivo Difusão e Projeto Patrulha Voluntária Jovem e conta com o apoio do Circuito Fora do Eixo e Sebrae Amazonas. A programação completa do festival será anunciada em outubro.

Confira abaixo a lista dos selecionados:

BQuadro – http://bquadro.tnb.art.br/

Bandaid – http://bandaidrock.tnb.art.br/

Alaidenegão – http://alaidenegao.tnb.art.br/

MB4 – http://habib.tnb.art.br/

Tattva – http://bandatattva.tnb.art.br/

Deskarados – http://deskarados.tnb.art.br/

Ellen Mendonça – http://ellenmusica.tnb.art.br/

Ritmo e Poesia – http://ritmoepoesia.tnb.art.br/

Johnny Jack Mesclado – http://bandajohnnyjackmesclado.tnb.art.br/

Alma Nomade – http://almanomade.tnb.art.br/

Anônimos Alhures – http://anonimos-alhures.tnb.art.br/

Mezatrio –  http://mezatrio.tnb.art.br/

InCaos – http://incaos.tnb.art.br/

Ed Ondo – http://edondo.tnb.art.br/

Os Playmobil – http://osplaymobils.tnb.art.br/

Inscrições para 2° Festival Amazonas de Música

Estão abertas as inscrições para o 2° Festival Amazonas de Música que acontece em setembro. O festival terá as seguintes modalidades de participação:

a. MOSTRA COMPETITIVA – a ser realizada no Teatro Amazonas, no período de 21 a 23 de setembro de 2011;

b. MOSTRA NÃO COMPETITIVA – a ser realizada no Centro Cultural Largo de São Sebastião no dia 24 de setembro de 2011;

c. SHOWS MUSICAIS – a ser realizada no Teatro Amazonas, no período de 21 a 23 de setembro de 2011.

As inscrições são gratuitas e vão até o dia 30 de agosto de 2011. Confira abaixo o regulamento completo e a ficha de inscrição.

REGULAMENTO

FICHA DE INSCRIÇÃO

 

Festival Até o Tucupi abre inscrições para bandas

Começam hoje as inscrições para bandas que desejam participar da quinta edição do Até o Tucupi – Festival de Artes Integradas do Coletivo Difusão. Os interessados terão até o dia 20 de agosto para fazer a inscrição no portal Toque no Brasil.  As bandas precisam apenas criar um perfil  e, em seguida, fazer sua inscrição na página do festival: http://festivalateotucupi.tnb.art.br/.

Neste ano o festival irá disponibilizar 16 vagas para bandas. Assim como na edição de 2010 não há restrição ao estilo das bandas para se inscreverem no evento, basta que estas tenham músicas autorais. E para  promover a maior diversidade de bandas no festival, os grupos que se apresentaram em 2010 não irão participar do evento deste ano. A seleção das bandas será feita por uma curadoria composta por jornalistas, produtores culturais e músicos.

Esse ano o festival acontece em outubro e é realizado em parceria com o Sebrae Amazonas e com a Prefeitura de Manaus por meio do projeto Patrulha Voluntária Jovem.  Além das atrações musicais o Até o tucupi contará com uma semana de atividades de artes integradas em Manaus, além de uma programação voltada para capacitação e valorização dos agentes culturais da cidade. As atividades deverão ser realizadas em todas as zonas da cidade, e também na zona rural.

Agende: Festival Breves Cenas de Teatro 2011

Para quem já não aguentava mais tanta banda de carnaval batendo à sua porta, chega a hora de aproveitar o que o mês de março ainda tem a oferecer. Trata-se do Festival Breves Cenas de Teatro que chega à sua terceira edição com mais de dez apresentações de  peças curtas.

Programação

17/03

Beckett sem palavras (Grupo Baião de Dois-AM)

Classificação: livre

Distorções (Izabel Stewart-MG)

Classificação: 16 anos

E se fosse você….exatamente, aqui agora? (Clã de Nós-RJ)

Classificação: livre

18/03

Ensaio para outra história (Cia. do Chá-MG)

Classificação: livre

Holocausto (Cia. Um do Outro de Teatro-SP)

Classificação: 16 anos

Sr. e Sra. Online (Cia. de Ideias-AM)

Classificação: livre

Flicts (Mariana Jacques-MG)

Classificação: livre

19/03

Dois lados (Guta Rodrigues-AM)

Classificação: 14 anos

Movimento Mínimo ( Grupo Movimento Mínimo-PR)

Classificação: livre

Poema Obsoleto (Cia. do Pé Torto-RR)

Classificação: livre

Bilhete da Sorte (Cia. A Cúpula do Teatro-RJ)

Classificação: livre

20/03

Entre aspas (Rívisson Zür -BA)

Classificação: 16 anos

O casamento (Cia. Amattores Eventos Artísticos -AM)

Classificação: livre

Mel (Gerrah Tenfuss -SP)

Classificação: 13 anos

Ator emparedado (Grupo Quarto de Teatro -RJ)

Classificação: livre

As apresentações serão no Teatro Amazonas  às 20h e são gratuitas. Para saber um pouco mais sobre o festival, basta visitar o site do Breves Cenas 2011.

Confira a programação do XV Festival Amazonas de Ópera

O Festival Amazonas de Ópera completa 15 anos, e tem estreia para o dia 26 de abril, com a obra de Giacomo Puccini, “Suor de Angelica”.  O elenco conta com Isabelle Sabrié, Elaine Martorano, Luciana Costa e Silva, Marinete Negrão, Aurean Elessondres, Carol Martins, Kelly Fernandes, Thalita Azevedo, Maria Augusta Bacelar, Elane Monteiro, Lidia Mendes, Dhijana Nobre, Rosemeire Vieira, Raquel Brasil e Mirian Abad.

Puccini foi um compositor de óperas italiano. Entre suas obras mais conhecidas estão: La bohème, Tosca, Madama Butterfly e Turandot. O fato mais interessante é que a ópera “Suor de Angelica” não ficará restrita apenas à Manaus. A Secretária de Cultura levará a ópera que que vai abrir o XV Festival Amazonas de Ópera à Iranduba, interior do Estado.

A programação do XV FAO traz ainda “Dialogues des Carmélites” de Francis Poulenc, “Carmina Burana” de Carl Orff, “Messias” de Georg Friedrich Händel, “Tristan Und Isolde” de Richard Wagner, e uma montagem elaborada para celebrar os 15 anos de FAO, “Cenas Líricas”.

Além de seis Recitais Bradesco e o Concerto do Dia das Mães. No total, serão 19 apresentações, que terão como palco, além do Teatro Amazonas, o Centro Cultural Palácio da Justiça, Teatro da Instalação, Centro Cultural Largo de São Sebastião, Igreja São Sebastião, Centros Estaduais de convivência do Idoso (Aparecida) e da Família (Cidade Nova), além do município de Iranduba. A programação acadêmica acontece no Centro Cultural Palácio da Justiça, sempre às 18h.

Programação Acadêmica:

Dia 25 de abril, o Secretário Estadual de Cultura, Dr. Robério Braga, apresenta “Gestão e Produção Cultural”.

Dia 02 de maio, a soprano Eliane Coelho debate sobre “Canto”.

Dia 09/05 terá “direção Cênica e Projeções” com Mietta Corli.

Dia 16/05 Jehsel Lau Cristerna fala sobre “Figurinos”.

Dia 23/05 estará em pauta “Iluminação” com Fabio Retti.

Dia 24 de Maio, Marcos Apollo discute “Produção Técnica”.

 

Programação Completa – XV FESTIVAL AMAZONAS DE ÓPERA

26 e 30 de Abril  – Teatro Amazonas – 20h
07 de Maio – Iranduba – 20h
14 de Maio – Aparecida – 20h
15 de Maio – Padre Vignola – 19h
Giacomo Puccini – Suor Angélica
Irmã Angélica:  Isabelle Sabrié, soprano
A Tia Princesa: Elaine Martorano, contralto
A Abadessa: Luciana Costa e Silva, mezzo-soprano
Irmã Monitora: Marinete Negrão mezzo-soprano
Mestra das Noviças: Aurean Elessondres, contralto
Irmã Genoveva: Carol Martins, soprano
Irmã Osmina: Kelly Fernandes mezzo-soprano
Irmã Dulcina: Thalita Azevedo, mezzo-soprano
Irmã Enfermeira: Maria Augusta Bacelar, soprano
1ª irmã de Caridade: Elane Monteiro, soprano
2ª irmã de Caridade: Lidia Mendes, mezzo-soprano
1ª noviça: Dhijana Nobre, soprano
2ª noviça: Rosemeire  Vieira, soprano
1ª irmã leiga: Raquel Brasil, soprano
2ª irmã leiga: Mirian Abad, soprano

Coral do Amazonas
Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica
Direção Musical e Regência: Luiz Fernando Malheiro
Direção Cênica: Maria Lucia Gurgel
Cenários: Roberta Volpe
Figurinos: Jehsel Lau Cristerna
Iluminação: Fabio Retti
(em colaboração com a Accademia di Opera di Verona, Itália)

28 de abril, 01(19h) e 03 de Maio – 20h – Teatro Amazonas
Francis Poulenc – DIALOGUES DES CARMÉLITES
Blanche de La Force: Michelle Canniccioni, soprano
Marquis de La Force: Leonardo Neiva, baritono
Chevalier de La Force: Flávio Leite, tenor
Irmã Constance,uma jovem freira: Gabriella Pace, soprano
Madame de Croissy, a Prioresa: Ruth Staerke, soprano
Madame Lidoine, a Nova Prioresa: Isabelle Sabrié, soprano
Madame Marie da Encarnação: Denise de Freitas, mezzo-soprano
Madame Jeanne do Menino Jesus: Elaine Martorano, mezzo-soprano
Le Chaplain: Juremir Vieira, tenor
Irmã Matilde: Luciana Costa e Silva, mezzo-soprano
L’Officer: Roberto Paulo, baritono
Primeiro Oficial: Enrique Bravo , tenor
Segundo Oficial:  Davy Chaves barítono
Le Geolier: Vinicius Atique, baritono
Thierry: André Stone, barítono
Monsieur Javelinot: Alex Herculano, barítono
Carmelitas:Carol Martins,Elane Monteiro, Maria Augusta Bacelar, Dhijana Nobre, Rosemeire  Vieira, Lidia Mendes, Marinete Negrão, Aurean Elessondres, Thalita Azevedo, Kelly Fernandes e Raquel Brasil

Coral do Amazonas
Amazonas Filarmônica
Direção Musical e Regência: Marcelo de Jesus
Direção Cênica: Willian Pereira
Cenários: Willian Pereira
Figurinos: Marcelo Marques
Iluminação: Fabio Retti

04 de Maio – Teatro Amazonas – 20h
Carl Orff – CARMINA BURANA
Katia Freitas – soprano
Flávio Leite – tenor
Igor Vieira – barítono
Coral do Amazonas
Amazonas Filarmônica
Direção Musical e Regência: Marcelo de Jesus

05 de Maio – Teatro Amazonas – 20h
Recital Bradesco
Música Francesa
Isabelle Sabriè – soprano
Denise de Freitas – mezzo-soprano
Flavio Leite – tenor
Vinicius Atique  – baritono
André dos Santos – piano

06 de Maio – Teatro Amazonas – 20h
Recital Bradesco
Música Alemã
Eliane Coelho – soprano
Gabriella Pace – soprano
Juremir Vieira – tenor
Marcelo de Jesus – piano

08 de Maio – Igreja de São Sebastião – 10:30h
Concerto do Dia das Mães
Coral do Amazonas
Direção Musical e Regência: Zacarias Fernandes

12 de Maio – Teatro Amazonas – 20h
Recital Bradesco
Música das Américas
Carol Martins – soprano
Elaine Martorano – mezzo-soprano
Igor Vieira – baritono
Andrés Roig – piano

14 de Maio – Teatro da Instalação – 20h
Georg Friedrich Händel – Messias
Tamar Freitas – soprano
Lincoln Pires – contratenor
Enrique Bravo – tenor
Vinicius Atique – barítono
Coral do Amazonas
Orquestra de Câmara do Amazonas
Direção Musical e Regência: Marcelo de Jesus

19 e 22 de Maio – Teatro Amazonas – 19h (as duas apresentações)
Richard Wagner – TRISTAN UND ISOLDE
Tristan: John Charles Pierce, tenor
Isolde: Eliane Coelho, soprano
Brangæne: Andreia Souza, mezzo-soprano
Kurvenal:  Leonardo Neiva, baritono
Kænig Marke: Kevin Maynor, baixo
Melot: Igor Vieira, baritono
Um Pastor: Flávio Leite, tenor
Um jovem marinheiro: Flávio Leite, tenor
Coral do Amazonas
Amazonas Filarmônca
Direção Musical e Regência: Luiz Fernando Malheiro
Concepção,Direção Cênica ,Cenografia e Criação de Videos: Mietta Corli
Figurinos: Olintho Malaquias
Iluminação: Vincent Longuemare
Realização de vídeos: Sergio Metalli (Ideogramma, Rimini)

20 de Maio – Teatro Amazonas – 20h
Recital Bradesco – Franz Liszt – Canções e Transcrições
Carol Martins – Soprano
Marinete Negrão – Mezzo-soprano
Leonardo Feitosa – Tenor
Alex Herculano – Barítono
Gabriel Rhein Schitato – Piano

21 de Maio – Teatro Amazonas – 20h
Recital Bradesco – Negro Spirituals
Kevin Maynor – Baixo
André dos Santos – Piano

26 de Maio – Palácio da Justiça – 20h
Recital Bradesco
Alunos da classe de canto “Ivete Ibiapina”
Natalia Sakouro – orientadora
Irina Kazak – pianista

29 de Maio – Largo São Sebastião – 19h
“Cenas Líricas” 15 anos do FAO
Coral do Amazonas
Amazonas Filarmônica
Solistas:Eliane Coelho, Juremir Vieira, Luciana Costa e Silva, Igor Vieira, Flavio Leite, Elaine Martorano, Isabelle Sabrié, Katia Freitas, Vinicius Atique, Marinete Negrão, Enrique Bravo, Roberto Paulo, Cristiano Silva, Maria Augusta Bacelar, André Stone, Jaiana Silva, Lídia Mendes, Carol Martins, Carolina Herculano, Thalita Azevedo, Dhijana Nobre e Thelvana Freitas
Narrador: Matheus Nachtergale
Direcão Cênica: William Pereira
Direção Musical e Regência: Marcelo de Jesus

Você pode comprar os ingressos na bilheteria do Teatro Amazonas, de segunda a sexta, das 9h às 19h. Ou comprar via internet no site da BestSeat. (Ingressos a partir de 5 reais)

Manaus tem seu primeiro Festival de Perfomance

Manaus terá seu primeiro Festival de Perfomance entre os dias 19 e 22 de novembro, o Vazio.  Com o objetivo de tornar Manaus um dos mais importantes pólos  de produção e circulação cultural do Brasil, o Vazio levará manifestações artísticas  à  diversos pontos da cidade como a Feira do Produtor, Terminal 01 , Orla da Ponta Negra, entre outros.

Nestes locais bailarinos, atores, performers e artistas plásticos terão a oportunidade de mostrar ao público apresentações de sua especialidade.

Para saber a programação completa do Vazio, basta acessar o site do festival.

Começa com você ou: SWU, vai tomar no …

Este título aí de cima não tem significado negativista como, a primeira vista, parece ser. Ele está aí para lembrar a frase que o público mais gostava de entoar a cada coisinha errada que acontecia no festival. Que convenhamos: ir para um local que terá público final de mais de 160 mil pessoas e achar que tudo será perfeito é acreditar em papai noel, ou na volta de Jesus – fato que ocorreu no terceiro dia de evento.
Pontos negativos: vamos logo a parte ruim, que foi pouca coisa e depois seguimos ao que interessa. O local não foi dos melhores: para chegar lá a pé era uma caminhada da via expressa principal até os palcos, de no mínimo 4km, senão mais – a sensação de morte declarada aumentava com a poeira e com as dores de um dia inteiro, em pé, assistindo aos shows; o som falhou, em momentos importantes, como no show do RATM; a segurança, no primeiro dia, foi precária e nos outros foi tão bem feita que atrasou a entrada do público; o preço de tudo estava exageradamente alto.

Os ingressos estavam em conta: R$ 190 por dia de show, é barato; o público estava bem selecionado; as atrações cumpriram o que prometeram, umas mais, outras um pouco menos; e se a organização soubesse que iria fazer aquele frio, teria conquistado a galera com uma loja com casacos e moletons e outra somente com chá, café e chocolate quente – esses últimos dois existiam no quiosque da Nestlé, mas não havia divulgação.

Primeiro dia (09/10/10)

Brothers of Brazil: a dupla filha dos senadores Marta e Eduardo foi a primeira atração a subir nos palcos oficiais do SWU. Divertiram-se e divertiram o público tocando músicas próprias e outros sucessos antigos do Supla. Nota 7,5.

Black Drawing Chalks: a quantidade de pessoas que conheciam a sensacional banda brasileira era menor do que os que realmente já tinham ouvido o seu som e sabiam o que esperar. Era só ouvir quem cantava e quem não cantava a já clássica “My Favourite Way”. Foi o aquecimento perfeito para o frio que começava a despontar. Um dos melhores shows nacionais. Nota 8,5.

Macaco Bong: outra atração nacional que tinha tudo para arrebentar. E cumpriu seu papel com maestria em todas as canções. Não conhecia a banda, não sabia do que se tratava, mas como o meu amigo, baterista, Júnior disse: “Essa daí (a banda) a gente tem que ver de perto, é som!”. E realmente foi. Música instrumental de primeiro mundo, com tudo certo e não deixou a quentura levantada pelo Black esfriar. Nota 8,5.

Infectious Groove: não fiz questão de prestar atenção nem na música, quanto menos no que rolava nesse momento em cima do palco. Um som datado, com uma ou outra música legal e pela primeira vez rolava em minha cabeça o seguinte pensamento: podiam ter deixado isso de fora e trazido algo melhor. Sem nota.

Mutantes: eu respeito os Mutantes. Mas aqueles que tinham a Rita e os Irmãos Batista. Esse, cheio de gente, com cara bonitinha e que mama nas músicas antigas da banda e não tem nada a oferecer de novo, esse eu descarto. A banda se esforçou, mas o frio – tanto o tempo, quanto a reação do público – não os deixou a vontade. Nota 5,0.

Los Hermanos: “Eu nunca vi o Los Hermanos ao vivo”. Disse sem o menor pudor. A maioria do meu grupo de amigos ficou me olhando. E repeti: “Vamos lá pro lado em que eles vão tocar, tenho que ver!”. E lá foi todo mundo. Nesse momento o vento frio já congelava as pessoas, principalmente as que foram de bermuda – como eu. O show não foi dos melhores, mesmo com a banda esgotando todas as melhores músicas cantadas pelo sempre carismático Rodrigo Amarantes. O som também não colaborou e o que seria o grande show da volta, tornou-se somente mais um show – o meu primeiro – do Los Hermanos. Nota 8,0.

The Mars Volta: na metade do show do Los Hermanos, eu e minha trupe já partíamos em direção ao palco em que rolaria um dos shows mais esperados por este escriba – não era o do Rage Against The Machine, não, não – era o do louco e intensamente perfeito The Mars Volta. A banda que faz um som inclassificável teve seu futuro traçado em uma frase profética do amigo Marcos: “Esse povo aqui não sabe quem é o Mars Volta, até hoje”. Som perfeito, presença de palco dominante e pelo menos um fã radical conquistado: eu. Melhor show do dia sem dúvida, um dos melhores do SWU. Nota 9,5!

Rage Against The Machine: 15 anos. E logo na primeira vez em que a banda surge no palco, um sentimento de alegria e total compreensão de que todos perderiam a noção do que é ser racional toma conta da fazenda Maeda. Pulos, gritos, emoção e depois… Socos, desespero, gritos, corre-corre e algumas quedas pelos caminhos. Para piorar a situação, o som desaparece em uma canção chave e a banda continua o show mesmo assim – eles estavam com o retorno. Uma apresentação memorável, mas o RATM sofreu um eclipse psicodélico e intransigente de Marte. Nota 9,0!

Essa semana sai o post do dia pop. Hoje mais conhecido como o dia Joss Stone.

Rodrigo Castro

Texto publicado originalmente no A Sétima e Todas

%d blogueiros gostam disto: