40 anos de Transamazônica

Transamazônica: BR 230, 4.000 km de comprimento, 7 estados brasileiros.

Para muitos uma cicatriz no meio da selva, que liga  “nada a lugar nenhum”. Para outros, batalha diária e fonte de muitas histórias. E para a maioria de nós, o desconhecido.  Mas não totalemte. Pelo mesno essa é a proposta do blog Transamazônica40anos, que tenta desvendar uma rodovia viva, muito além daquela que sai na Globo ou na Veja.

O jornalista Leandro Prazeres e o repórter fotográtifo Euzivaldo Queiroz embarcaram nessa aventura, que corta os estados do  Amazonas, Pará, Tocantins, Maranhão,  Piauí, Ceará e Paraíba, para mostrar um pouco mais das histórias dessa lendária quarentona, com relatos tocantes e fotografias belíssimas.

Vale a pena acompanhar!

Assista The Guild

Nerds, geeks e pessoas aleatórias que estão lendo o blog, este post é pra vocês! Hoje a dica de internet do MaoDita é  The Guild, uma web série que retrata vida um grupo de jogadores de MMORPG. Com roteiro bastante criativo e engraçado, a série mostra a história da guilda(time) “Os Cavaleiros do Bem” e todas as situações bizarras que os seus 6 membros passam, como desemprego, desapego social, dependência física e mental do jogo, amizades estranhas, etc.

Escrita, dirigido e também protagonizada pela musa nerd  Felicia Day, a série, mostra todas as mudanças que acontecem na sua vida já não muito normal de Codex(Felicia) depois que o companheiro de guilda/stalker  Zaboo(Sandeep Parikh) aparece em sua casa. A confusão sobra pro resto do time, composto por Vork(Jeff Lewis), Tinkerballa(Amy Akuda), Bladezz(Vincent Caso) e Clara(Robin Thorsen).

Baseada na história de Felicia que foi viciada em World of Warcraft durante dois anos, The Guild começou independente em 2007 e hoje é patrocinada por uma operadora de telefonia celular dos Estados Unidos. Além disso, já ganhou alguns prêmios, dentre eles o Streamy Awards de Melhor web-série de Comédia, Melhor Elenco e Melhor Atriz para Felicia. Não é a toa que The Guild já está na terceira temporada. Quem quiser, pode conferir os episódios (que duram de três a oito minutos) no site oficial da série (www.watchtheguild.com) ou no canal deles no Youtube.

Capas de discos ganham nova versão

Apesar  da facilidade de obter música de graça ter se tornado comum na era da internet, há pessoas que fazem questão de comprar o álbum de seu artista favorito. Tal hábito não se dá apenas pelo conteúdo musical. Diversas capas de discos são verdadeiras obras de arte e quase todo fã de música gosta de admirar os encartes de CDs.

É bem provável que os artistas Antoine Quereuil e Bruno Perrin se encaixem nesse time. A dupla recriou capas de discos famosos utilizando materiais como massa de modelar. Intitulado Hall of Fame, o projeto inclui capas de discos Aladdin Sane (David Bowie), Nevermind (Nirvana), Abbey Road (The Beatles), Murray Street ( Sonic Youth) e outros. O resultado é um tanto cru, o que deixa o trabalho mais interessante e “roquenrou”.  Conheça  essa homenagem criativa ao rock n’ roll clicando aqui.

Ramones 

 
O original Murray Street, do Sonic Youth e ao lado a versão
do "Hall of Fame"

Onda antissocial

Atualmente muito se fala das tais redes sociais, não é verdade? Do Orkut ao Twitter, é sempre aquele mesmo mimimi, todos parecem ser best friends forever, conhecem milhares de pessoas e vivem felizes sempre.

Os britânicos que são mudialmente conhecidos por seu sarcasmo e seu amor pela autodepreciação criaram a versão mal-humorada do Twitter: o Twatter. De cara você já se depara com a frase: “What the fuck are you doing?” Trocadilho visível com a frase inicial da famosa rede social que traz  um maldito passarinho como símbolo. Para os mal-humorados e antissociais de plantão o Twatter é uma ótima opção para declarar seu mau humor ao mundo.

Sua caixa de correio vai virar uma caixa de surpresas

Quando foi a última vez que você recebeu um cartão postal? E não estou falando desses virtuais não. Pois é, agora com a toda poderosa internet, mandar e receber correspondências reais parece coisa do passado. Não com o site PostCrossing. Essa rede social proporciona a troca de cartões postais entre pessoas do mundo inteiro.O sistema é simples, você recebe se você envia. São mais de 60 mil usuários de 190 países trocando muito mais que 140 caracteres. Afinal sua caixa de correio não foi feita apenas para receber contas!

sketch swap

Desenhe 1 para  receber 1

Já pensou em trocar desenhos com um completo desconhecido? No site Sketch Swap você pode fazer isso. É só desenhar na página em branco, clicar em “Enviar desenho” e… puft,  um desenho aleatório de qualquer lugar do mundo vai se formando na sua tela. O resultado é  bem legal. Os desenhos nem sempre são lindos, mas divertem bastante.É claro que existem algumas regrinhas pra regular a “qualidade” do material trocado. Não se pode desenhar só texto, imagens moralmente inadequadas ou  apenas pontos e  linhas. Se você quiser escrever algo, escreva em inglês, e com alguma ilustração para acompanhar.

O Sketch Swap foi inspirado pelo FileSwap, que funciona com a mesma premissa da troca randômica.

Com certeza uma ótima opção para suas horas de tédio na frente do PC.

Trocando livros

Se você é um aficcionado por livros, mas já se encheu de todos os títulos que tem e gostaria de trocá-los,  o site Trocando Livros é o lugar ideal para você.

Após se cadastrar,  você pode adicionar o livro que gostaria de trocar e esperar que outro usuário se interesse. À medida que você envia o livro pelo correio, você ganha 1 crédito que te dá direito a solicitar um livro . Outra opção para ganhar crédito é comprando  por R$ 14,90.

O Trocando Livros possui um acervo para troca de mais de 20.000 livros, que variam desde títulos recentes como O Código da Vinci até raridades como O Dia do Gafanhoto (esse será meu, xô urubu!).

%d blogueiros gostam disto: