Banda Caffeína revive os sucessos do grunge

No início da década de 90, o rock viveu um movimento que foi considerado por muitos a sua salvação. A cidade norte americana de Seattle era a responsável por abrigar bandas que deram o tom necessário para resgatar um cenário musical saturado pelo metal farofa oitentista de bandas como Poison e Twisted Sister.

Alice In Chains, uma das mais importantes bandas grunge

Alice in Chains, Soundgarden, Pearl Jam, Screaming Trees e Nirvana eram os representantes do chamado  movimento grunge, influenciado pelo heavy metal, punk rock e indie rock. Mesmo não tendo durado muito tempo, o grunge ainda mantém sobreviventes que nos últimos anos lançaram bons discos como o Alice in Chains e Stone Temple Pilotos.  E é  pra relembrar essa boa música dos começo dos anos 90 que a banda Caffeína toca nesta segunda-feira  no espaço cultural Thiago de Mello, na Saraiva Megastore.

A Caffeína é formada por Rod Castro (vocal), Hudson Caparro (baixo) Elton Donald (guitarra) e Guto Nunes (guitarra e backing vocals) e  Júnior (bateria). Em seu repertório, a Caffeína tocará as já citadas bandas grunges e acrescenta ainda músicas das meninas do L7 e Hole, Smashing Pumpkins, Faith no More, Deftones e Silverchair. Nada como uma boa dose de Caffeína para começar a segunda-feira.

Banda Caffeína

Quando: 25 de julho às 19h30

Onde: Espaço Cultural Thiago de Mello, localizado na Saraiva Megastore (Manauara Shopping)

Quanto: gratuito

Festival Até o Tucupi abre inscrições para bandas

Começam hoje as inscrições para bandas que desejam participar da quinta edição do Até o Tucupi – Festival de Artes Integradas do Coletivo Difusão. Os interessados terão até o dia 20 de agosto para fazer a inscrição no portal Toque no Brasil.  As bandas precisam apenas criar um perfil  e, em seguida, fazer sua inscrição na página do festival: http://festivalateotucupi.tnb.art.br/.

Neste ano o festival irá disponibilizar 16 vagas para bandas. Assim como na edição de 2010 não há restrição ao estilo das bandas para se inscreverem no evento, basta que estas tenham músicas autorais. E para  promover a maior diversidade de bandas no festival, os grupos que se apresentaram em 2010 não irão participar do evento deste ano. A seleção das bandas será feita por uma curadoria composta por jornalistas, produtores culturais e músicos.

Esse ano o festival acontece em outubro e é realizado em parceria com o Sebrae Amazonas e com a Prefeitura de Manaus por meio do projeto Patrulha Voluntária Jovem.  Além das atrações musicais o Até o tucupi contará com uma semana de atividades de artes integradas em Manaus, além de uma programação voltada para capacitação e valorização dos agentes culturais da cidade. As atividades deverão ser realizadas em todas as zonas da cidade, e também na zona rural.

Com quantas cotas se faz um show?

Costuma-se esperar anos para poder ir num show de uma banda que você gosta. Às vezes elas precisam acabar e retomar as atividades pra daí (quem sabe) elas darem um pulinho no país e você levantar uma boa grana pra ir ao show.  Não esqueça também de contar com a sorte para os organizadores trazerem os artistas. Mas agora as possibilidades de depender da sorte diminuíram. Graças a sites como  Mob Social, o público como eu, você e mais uns doidos por shows, pode se mobilizar pra tentar trazer músicos que gostaríamos de ver tocar até mesma na nossa cidade.

O Mob Social é um site do Brasil baseado no crowdfunding, que é um financiamento coletivo onde as pessoas compram cotas para garantir o show. É  importante  que você divulgue para  outras pessoas “comprarem a sua causa” e assim conseguir a quantia necessária para trazer o show. Caso a mobilização não dê certo, o seu dinheiro é reembolsado integralmente. Um dos resultados dessa iniciativa foi o show da banda norte-americana The Misfits. A banda teve sua agenda de shows no Brasil estendida e tocou em março no Rio de Janeiro devido à mobilização dos fãs no  Mob Social.

Outro site que também funciona por meio do financiamento coletivo é o Queremos. O site já mobilizou shows do LCD Soundsystem, Vampire Weekend e até do Belle and Sebastian, que acontecerá no dia 12 de novembro. No caso do Queremos, os shows são realizados no Rio de Janeiro.

Dada a dica, espalhe para seus amigos essas iniciativas e mobilize-se para garantir um show da sua banda favorita!

1ª Jam Session Vitrola

Nesta noite de sábado a partir das 22h, acontecerá no Vitrola (Antigo Tulipa Negra) a 1ª Jam Session Vitrola. Com várias bandas legais como: Sarcásticos, Extremamente Tosco, Anestesia, Eutanase entre outras. E sabe o que é melhor? A entrada é de graça! Então, você que ainda não sabe o que fazer hoje à noite, essa pode ser uma ótima opção.

1ª Jam Session Vitrola

Quando: Hoje (08/01)

Onde: Rua Recife, 2515 – próximo à Rodoviária Interestadual. Bairro: Flores.

Quanto: De graça!

Workshop de Canto com Humberto Sobrinho

2011 já começa com uma ótima notícia para aqueles que gostam de cantar. No dia 08 de janeiro acontece o workshop de canto com Humberto Sobrinho, vocalista do Hangar (SP) e Glory Opera (AM).  Humberto Sobrinho começou a cantar em 1994 na banda Malefic (Metal Extremo), e em 1997 integrou a banda The Duellists (Heavy Metal), no Recife. Logo em seguida, foi morar em Manaus, em 1998, integrando a banda Somniator, quando em 2000, foi convidado pela Glory Opera para gravar um cd demo. Nesta  época Humberto foi convidado pela banda Angra para um teste, chegando a gravar algumas demos da banda.

Workshop de Canto com Humberto Sobrinho

Quando: 08 de janeiro às 16h

Onde:Caua- Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas

Quanto: R$ 20,00 + 1 kg de alimento não perecível

Soda Billy lança CD novo

Depois de quase seis anos de espera, o público em geral poderá conferir o primeiro cd da banda Soda Billy. O lançamento do disco será nesta quinta-feira, 16/12, às 19h30 na Saraiva MegaStore com um pocket show com a banda, seguido de autógrafos. São 14 músicas próprias em vários estilos oriundos do blues e do rock´ n´roll que ilustram a identidade musical do grupo.

Letras em inglês e português, além de faixas instrumentais, levam ao ouvinte a conhecer aquilo que a banda vem lapidando ao longo desse tempo nas noites manauaras. Destaques para as faixas jazz e blues, tais como: “Bye, bye baby” e “Bistrô Blues” e as mais rocks como “Vou Pegar Aline” e “Go to the boogie A meta da banda é abrir portas com esse material de modo a obter uma merecida visibilidade da produção artístico-musical de Manaus em relação às demais regiões do país, assim como países vizinhos.

“Foi um trabalho árduo a materialização deste cd, mas contou com o apoio de amigos e empresários que admiram e acreditam em nosso potencial, isto somado ao nosso empenho musical e aos talentos individuais de cada um, gerou, sem duvida, um conteúdo de qualidade que deve agradar várias gerações de ouvintes”, afirma Matheus Gondim, vocalista e líder da Soda Billy.

Release e mais informações com Matheus Gondim matheus.gondim@gmail.com 8811 5761 e Aline 9223 1150

Pocket Show para lançamento do CD Soda Billy

Quando: quinta, 16 dezembro às 19h30

Onde: Saraiva MegaStore – Manauara Shopping

Quanto: grátis

Official 80 toca na Usina Chaminé

Desde que retomou  suas atividades,  o Centro Cultural Usina Chaminé tem dedicado um espaço fixo para o rock.  O especial Rock Amazonas traz dessa vez a banda Official 80 para tocar no espaço Álvaro Braga. A banda tem um repertório formado por por bandas nacionais e internacionais como Cazuza/Barão Veremelho, Legião Urbana, Ultraje a Rigor, IRA, Titãs, Capital Inicial, Paralamas do Sucesso, Jota Quest, Cidade Negra, Skank, Beatles, Rolling Stones, Creedance, Cry Before Dawn, O Rappa, U2, Pearl Jam, The Cure, The Smiths e Susana . Só pra você não esquecer: é de graça!

Especial Rock Amazonas com a banda Official 80

Quando: domingo, 12 de dezembro às 19h

Onde: Centro Cultural Usina Chaminé, localizado na rua Lourenço da Silva Braga (Manaus Moderna) Centro

Quanto: grátis

Show de retorno da Control+Z

A Banda Ctrl-Z (Control + Z) retorna aos palcos da cidade com o Show Vasilina Especial Tour com a gravação do seu primeiro DVD. A apresentação acontece no Vitrola Music Bar, na Avenida Mário Ypiranga (antiga avenida Recife), em frente a Rodoviária de Manaus, no dia 05 de novembro (sexta-feira), a partir das 22h.

A banda, que sempre se apresenta com grandes inovações e performances, dessa vez, promete fazer “o maior show de uma banda underground que Manaus já viu”. Com show pirotécnico, show de luzes, música de qualidade e a irreverência, já conhecida pelo público, a Ctrl-Z espera ser um marco na história do cenário local.

Na noite da gravação, além das músicas já conhecidas pelo seu público, como ‘A meia noite vai chover’, ‘Noel’, ‘Tomara’ e ‘Tucuman’, a banda vem com muitas músicas do novo repertório.

Onde: Vitrola Music Bar

Quando: 5 de novembro (sexta-feira)

Quanto: R$15 antecipado

Contato: (92) 9618-3907 / (92) 9123-3879

Começa com você ou: SWU, vai tomar no …

Este título aí de cima não tem significado negativista como, a primeira vista, parece ser. Ele está aí para lembrar a frase que o público mais gostava de entoar a cada coisinha errada que acontecia no festival. Que convenhamos: ir para um local que terá público final de mais de 160 mil pessoas e achar que tudo será perfeito é acreditar em papai noel, ou na volta de Jesus – fato que ocorreu no terceiro dia de evento.
Pontos negativos: vamos logo a parte ruim, que foi pouca coisa e depois seguimos ao que interessa. O local não foi dos melhores: para chegar lá a pé era uma caminhada da via expressa principal até os palcos, de no mínimo 4km, senão mais – a sensação de morte declarada aumentava com a poeira e com as dores de um dia inteiro, em pé, assistindo aos shows; o som falhou, em momentos importantes, como no show do RATM; a segurança, no primeiro dia, foi precária e nos outros foi tão bem feita que atrasou a entrada do público; o preço de tudo estava exageradamente alto.

Os ingressos estavam em conta: R$ 190 por dia de show, é barato; o público estava bem selecionado; as atrações cumpriram o que prometeram, umas mais, outras um pouco menos; e se a organização soubesse que iria fazer aquele frio, teria conquistado a galera com uma loja com casacos e moletons e outra somente com chá, café e chocolate quente – esses últimos dois existiam no quiosque da Nestlé, mas não havia divulgação.

Primeiro dia (09/10/10)

Brothers of Brazil: a dupla filha dos senadores Marta e Eduardo foi a primeira atração a subir nos palcos oficiais do SWU. Divertiram-se e divertiram o público tocando músicas próprias e outros sucessos antigos do Supla. Nota 7,5.

Black Drawing Chalks: a quantidade de pessoas que conheciam a sensacional banda brasileira era menor do que os que realmente já tinham ouvido o seu som e sabiam o que esperar. Era só ouvir quem cantava e quem não cantava a já clássica “My Favourite Way”. Foi o aquecimento perfeito para o frio que começava a despontar. Um dos melhores shows nacionais. Nota 8,5.

Macaco Bong: outra atração nacional que tinha tudo para arrebentar. E cumpriu seu papel com maestria em todas as canções. Não conhecia a banda, não sabia do que se tratava, mas como o meu amigo, baterista, Júnior disse: “Essa daí (a banda) a gente tem que ver de perto, é som!”. E realmente foi. Música instrumental de primeiro mundo, com tudo certo e não deixou a quentura levantada pelo Black esfriar. Nota 8,5.

Infectious Groove: não fiz questão de prestar atenção nem na música, quanto menos no que rolava nesse momento em cima do palco. Um som datado, com uma ou outra música legal e pela primeira vez rolava em minha cabeça o seguinte pensamento: podiam ter deixado isso de fora e trazido algo melhor. Sem nota.

Mutantes: eu respeito os Mutantes. Mas aqueles que tinham a Rita e os Irmãos Batista. Esse, cheio de gente, com cara bonitinha e que mama nas músicas antigas da banda e não tem nada a oferecer de novo, esse eu descarto. A banda se esforçou, mas o frio – tanto o tempo, quanto a reação do público – não os deixou a vontade. Nota 5,0.

Los Hermanos: “Eu nunca vi o Los Hermanos ao vivo”. Disse sem o menor pudor. A maioria do meu grupo de amigos ficou me olhando. E repeti: “Vamos lá pro lado em que eles vão tocar, tenho que ver!”. E lá foi todo mundo. Nesse momento o vento frio já congelava as pessoas, principalmente as que foram de bermuda – como eu. O show não foi dos melhores, mesmo com a banda esgotando todas as melhores músicas cantadas pelo sempre carismático Rodrigo Amarantes. O som também não colaborou e o que seria o grande show da volta, tornou-se somente mais um show – o meu primeiro – do Los Hermanos. Nota 8,0.

The Mars Volta: na metade do show do Los Hermanos, eu e minha trupe já partíamos em direção ao palco em que rolaria um dos shows mais esperados por este escriba – não era o do Rage Against The Machine, não, não – era o do louco e intensamente perfeito The Mars Volta. A banda que faz um som inclassificável teve seu futuro traçado em uma frase profética do amigo Marcos: “Esse povo aqui não sabe quem é o Mars Volta, até hoje”. Som perfeito, presença de palco dominante e pelo menos um fã radical conquistado: eu. Melhor show do dia sem dúvida, um dos melhores do SWU. Nota 9,5!

Rage Against The Machine: 15 anos. E logo na primeira vez em que a banda surge no palco, um sentimento de alegria e total compreensão de que todos perderiam a noção do que é ser racional toma conta da fazenda Maeda. Pulos, gritos, emoção e depois… Socos, desespero, gritos, corre-corre e algumas quedas pelos caminhos. Para piorar a situação, o som desaparece em uma canção chave e a banda continua o show mesmo assim – eles estavam com o retorno. Uma apresentação memorável, mas o RATM sofreu um eclipse psicodélico e intransigente de Marte. Nota 9,0!

Essa semana sai o post do dia pop. Hoje mais conhecido como o dia Joss Stone.

Rodrigo Castro

Texto publicado originalmente no A Sétima e Todas

Especial Faith No More e Deftones

No dia 07 de novembro de 2009 o Festival Maquinaria realizou o sonho de muita gente ao reunir no palco duas das principais bandas dos anos 90: Faith No More e Deftones.  Para relembrar esse inesquecível show,  as bandas Safe e Caralho Voador realizam no dia 17 de setembro no Red Bar um especial que promete diminuir a saudade.

Responsável pelo especial do Faith No More, a banda Caralho Voador existe desde o ano passado e foi formada exclusivamente para celebrar o retorno do grupo de Mike Patton. Os membros da banda são Augusto Nunes (guitarra e backing) , Aline (bateria), Hudon Chaparro (baixo) , Richard Cruz (vocal) e Geraldo (teclados). Quem quiser fazer coro no dia, pode ir treinando From out of nowhere, We Care a Lot e, é claro, Epic.

Além de clássicas como Change, Feiticeira, a banda Safe tocará músicas do mais recente álbum do Deftones, Diamond Eyes, lançado em 2010.

Especial Faith No More e Deftones com as bandas Caralho Voador e Safe

Quando: 17 de setembro, a partir das 22 h

Onde: Red Bar, localizado na avenida do Turismo, 2952

Quanto: R$ 10,00

Informações: 9284 2937

%d blogueiros gostam disto: